Pages

Subscribe:

domingo, 18 de setembro de 2011

O Paraguay avisa que votará na ONU pela criação do Estado Palestino.


Em que pese ás últimas inserções e intenções de Israel, por meio de seus emissários, junto ao presidente Lugo, o Paraguai votará, em reunião da ONU ,pela criação do Estado Palestino. A 66ª Assembléia Geral da ONU se reunirá por esses dias e as pressões de Israel sobre muitos países tem aumentado significativamente.


O presidente Lugo estará na reunião da ONU, com sede em Nova Iorque, e confirmará sua postura em defesa do Estado Palestino.

Desde Janeiro do corrente o presidente Lugo havia chegado a decisão do reconhecimento o que levou o Estado de Israel, por meio de seus “emissários” a tentar convencer o Paraguai de votar contrario a tal projeto. As investidas do governo israelita, contra o reconhecimento do Estado Palestino,tem sido muito freqüente . A iminência de uma votação sobre o tema, que tem avançado em discussões em várias regiões do planeta, assusta os Estado Judeu. Este vem utilizando-se de seus “expedientes históricos” e conhecidos mundialmente para tentar boicotar o tema que, certamente estará na pauta da próxima reunião da ONU cuja abertura será no próximo dia 21 do corrente.


O Paraguai mantém relações diplomáticas com muitos países do oriente médio e, já há algum tempo, havia se manifestado a favor do Estado da Palestina.


O Chanceller paraguaio Héctor Lacognata, afirmou que o seu país reconhecerá o Estado Palestino com as demarcações e seus limites antes da Guerra de 1967 quando Israel invadiu os territórios que pertenciam aos palestinos.

Muitos países latino-americanos já reconheceram, já tem algum tempo, a Palestina como Estado independente, entre eles estão Argentina , Brasil, Bolívia, Equador, Guyana, Uruguay, El Salvador Honduras, Chile e, recentemente Peru. Há algumas divergências, todavia, com relação as demarcações que venha ter o novo Estado. É interessante observar que ao término da II Grande Guerra, quando as nações européias decidiram criar o Estado de Israel por deliberação da ONU, também havia sido criado o Estado da Palestina. As invasões de Israel em terras do palestinos iniciadas tão logo da instalação do Estado judeu, gerou conflitos que se arrastam há décadas. A ONU, invariavelmente, tem se mostrado incompetente para impedir os crimes de Israel sobre os palestinos. Quiçá o mais grave de tudo esteja no fato dela, a ONU, contar com a cumplicidade da maior parte da mídia ocidental que, covardemente e de uma forma assustadora defende as atrocidades cometidas pelo Estado judeu. Perspectivas que o tornam um dos "Estados terroristas" mais atuantes, tem aumentado e ganhado bastante força diante das atrocidades e assassinatos em massa cometidos pelo exército israelita.


O Estado de Israel, famoso por atropelar as leis e tratados internacionais, vem mantendo uma dominação forçada e violenta sobre os territórios palestinos que inclui um imoral bloqueio marítimo e terrestre na região da faixa de Gaza. Israel vem, há décadas, bombardeando a região e assassinando adultos e crianças. Do outro lado o governo israelita afirma que o reconhecimento do Estado Palestino pela ONU provocaria problemas nas atuais “ negociações de paz”.


Vários países pelo mundo têm reconhecido o Estado Palestino. Na verdade de um total de 194 nações , 108 já se manifestaram favoráveis ao Estado Palestino. As mais recentes manifestações do governo de Fernando Lugo são muito importantes, ressaltam observadores mundiais, que reportam ao episódio da criação do Estado de Israel, datado de 1948, quando naquela oportunidade o voto do Paraguai foi fundamental para o novo Estado de Israel vir a existir de fato e de Direito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.