Pages

Subscribe:

domingo, 24 de agosto de 2014

Humanidade consumiu recursos naturais disponíveis para todo o ano em apenas oito meses

Já há muito, estudiosos sérios, vêm alertando para os riscos  da exploração desenfreada dos recursos naturais do planeta.   Os   defensores  do Liberalismo Econômico ( esse é o nome do sistema criminoso capitalista), todavia sempre procuraram desacreditar tais proposições. Em suas atividades imorais e  inconsequentes, lamentavelmente imperceptíveis para muitos, na  busca do lucro elevado e rápido,  destruíram grandes regiões da biosfera. E eles não param.  Continuam a fazê-lo,  em escalas cada vez maiores.  

Uma coisa é certa,  entre o capitalismo e  suas antíteses  os modelos  não liberais sempre tiveram uma postura e práticas diferentes em relação as questões  ambientais.  Nesse cenário  a esquerda ideológica   sempre buscou alertar a humanidade para tais  riscos.  Coube aos movimentos de esquerda mundial   a caracterização  correta desses  fenômenos, da mesma forma  que o manejo  e o seu trato não escaparam de uma perspectiva  também de esquerda.

Os defensores do  capitalismo e seus seguidores, em sua  maioria  desinformados e submetidos a mais proterva   alienação, não  aceitam ou se esquivam desse tipo de discussão. A propósito   essa não é a única.



**************************************************************************************************************


Diario Liberdade-A Terra ultrapassou terça-feira passada (19/08) o limite do seu 'orçamento' anual de recursos naturais, segundo os cálculos da Global Footprint Network (GFN). O tempo desse dia até final de ano supõe a sobre-exploração dos recursos naturais do planeta.



O significado da data significa que num ritmo de consumo de recursos considerado como o limite do sustentável pelas organizações ecologistas que realizam o cálculo, os recursos consumidos em apenas oito meses deveriam ter sido o máximo usado no ano. Todos os recursos consumidos no planeta entre 19 de agosto e 31 de dezembro suporão uma sobre-exploração da terra em benefício, principalmente, da exploração capitalista e a acumulação de riqueza.

A data em que o 'orçamento ecológico global' é ultrapassado tem sido continuamente mais cedo desde 2000. Naquele ano foi a 1 de outubro, frente ao 19 de agosto de 2014. Isso significa que hoje sobre exploramos o planeta durante um mês e meio mais ao ano, resultando em que para mantermos um consumo 'sustentável' (tendo em conta, contudo, o discutível do termo) precisaríamos de um planeta e meio.

A progressão é muito assustadora: em 1961 havia um 'superavit' globval de 1/3 dos recursos. No entanto, como consequência do capitalismo e a sua expressão imperialista, a maior parte dos países ficavam muito por baixo desse consumo, enquanto os países ocidentais, com os EUA à frente, ultrapassavam notavelmente os seus limites.

Caso a tendência continuar, em 2050 seriam necessários três planetas para satisfazer o consumo de recursos mundial.

 Fonte: Diario Liberdade -Foto de JD Hancock (CC2.0-by).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.