Pages

Subscribe:

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Marx sempre soube disso

Diario Liberdade-  A revista "Rolling Stone" reuniu cinco características sistemáticas do capitalismo contemporâneo pressagiadas pelas teorias marxistas há 150 anos.

 Da crise econômica até a febre por comprar novos "gadgets", estas características da sociedade moderna demonstram que Karl Marx tinha razão. Comprove com seus próprios olhos.

1. A Grande Recessão ('A natureza caótica do capitalismo')

Diferentemente do socialismo, em que o Estado pode controlar todas as etapas de produção e distribuição, o livre mercado, segundo o materialismo histórico, é um sistema espontâneo e caótico, sempre propenso à crises e depressões econômicas.

Efetivamente, este padrão previsto pelo marxismo já se esboçou na Grande Depressão de 1929 e se apresentou novamente em 2008 com o colapso do mercado imobiliário nos EUA e o início da nova crise econômica mundial, provocada pelo uso de instrumentos financeiros que Karl Marx chamava "capital fictício", como as ações e as permutas de descumprimento de crédito, que atualmente ameaça com uma nova recessão global.

2. iPhone 5 ('Apetites imaginários')

Há mais de cem anos, Marx advertiu que a criação de falsas necessidades era uma tendência inerente do capitalismo orientada ao aumento da produção; neste sistema o consumidor deseja produtos de pouca utilidade mas de alto custo e acaba convertendo-se "em escravo de caprichos desumanos, refinados, anti-naturais e imaginários".

Um exemplo desta teoria poderia ser a sociedade ocidental, que atualmente desfruta de um incrível nível de luxo e, no entanto, busca novas distrações e sente uma ânsia constante por comprar mais e mais coisas, como iPhones de última geração, inclusive quando não existe nenhuma necessidade de fazê-lo porque já se tem um "gadget" parecido que funciona perfeitamente.

3. Globalização do capitalismo


Segundo a teoria marxista, a natureza expansionista do capitalismo o obriga a propagar-se por todo o planeta em sua incessante busca de novos mercados, recursos naturais e mão de obra barata. Já em 1848 Karl Marx descreveu as principais características da moderna globalização econômica agressiva encabeçada e controladas por organismos supranacionais como o FMI, que "deve aninhar em todas as partes, estabelecer-se em todas as partes, estabelecer conexões em todas as partes" para prolongar sua existência.

4. Monopólios

Diferentemente da teoria econômica que postulava a autorregulação do mercado, Marx alegava que o poder econômico e finaceiro se concentraria em grandes corporações que absorveriam ou expulsariam os pequenos produtores independentes, tomando o controle do mercado mundial. A hipótese indicada é mais do que válida para descrever a sociedade atual, em que gigantes monopolistas regulam todas as áreas econômicas, desde a bancária até a de alta tecnologia.

5. Salários baixos, ganâncias enormes ('O exército industrial de reserva')

De acordo com a análise marxista do capitalismo, os empresários poderão manter baixos os salários graças ao "exército industrial de reserva", ou seja, a grande quantidade de desempregados permanentes. Isso será ainda mais factível durante as fases de recessão, quando aumenta o número de desempregados, sem que ele influencie significativamente nos imensos benefícios das grandes empresas, já que os trabalhadores, que temem perder seus postos, se conformam com salários baixos e suportam duras condições de trabalho.

Do Russia Today.

Fonte: Diario liberdade e Cubadebate -Traduzido por Eduardo Vasco para o Diário Liberdade


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.