Pages

Subscribe:

domingo, 6 de outubro de 2013

Uma narrativa acerca do posicionamento do Governo do Rio Grande do Sul sobre a questão indígena


Violência, práticas inconstitucionais, vacilo político, incentivo a conflitos e atos diretos  de coação e coerção marcam a postura do Governo Tarso frente à problemática da demarcação de terras indígenas no Rio Grande do Sul

"O ardiloso discurso do “medo da direita”, associado a um travestido pragmatismo político com a intenção de manter o Partido dos Trabalhadores no poder, ajuda a explicar o fato de o Governo Tarso e seus aliados terem aderido à política nacional de defesa explícita do agronegócio e de proteger o latifúndio a qualquer preço. Esta postura permanece firme até mesmo quando os interesses e ações das elites agrárias confrontam os direitos constitucionais sofridamente conquistados pelos povos originários e implicam um massacre físico e cultural dos povos indígenas e quilombolas."

Na íntegra:



Cimi Sul – Conselho Indigenista Missionário-Regional Sul

GAPIN – Grupo de Apoio aos Povos indígenas

CAIK – Conselho de Articulação Indígena Kaingang

Rio Grande do Sul, 02 de setembro de 2013.


Fonte: site PCB



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.