Pages

Subscribe:

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Em defesa da volta da ditadura- Promotor pede que PMs atirem em manifestantes e garante que arquiva o inquérito policial


Em rede social, o promotor mostrou seu desejo de que a Tropa de Choque atirasse nos manifestantes e afirmou sentir saudades da ditadura militar: "época em que esse tipo de coisa era resolvida com borrachada nas costas dos merdas"

 O promotor Rogério Leão Zagallo

PCO- Após os protestos contra o aumento da passagem de ônibus, metrô e trem em São Paulo, o promotor do 5º Tribunal do Júri, Rogério Zagallo,  publicou em sua página no facebook o seguinte comentário: “Estou há 2 horas tentando voltar para casa, mas tem um bando de ‘bugios’ revoltados parando a avenida Faria Lima e a Marginal Pinheiros. Por favor, alguém poderia avisar a Tropa de Choque que essa região faz parte do meu Tribunal do Júri e que se eles matarem esses filhos da puta eu arquivarei o inquérito policial. Petista de merda. Filhos da puta. Vão fazer protesto na puta que os pariu...Que saudades da época em que esse tipo de coisa era resolvida com borrachada nas costas dos merdas...”.

O promotor defendeu que os policiais atirassem em manifestantes porque eles estavam atrapalhando o trânsito, deixou o recado de que se isso fosse feito ele arquivaria o inquérito policial no Tribunal do Júri onde ele trabalha.

Além de xingar os manifestantes, pelo simples fato de que eles estavam exercendo seu direito de manifestação, o promotor faz uma clara alusão à ditadura militar, ao falar da "época" da qual sente saudade, quando a população era impedida de protestar.

Rogério Zagallo não esperava que os seus comentários fossem ter a repercussão que teve nas redes sociais e excluiu o mesmo da sua página, mas as opiniões do promotor abertamente direitistas são expressas em documentos do Tribunal.


Em outra ocasião, o promotor arquivou um processo contra um policial que assassinou um homem que supostamente estava tentando assaltá-lo.

"O agente matou um fauno que objetivava cometer assalto contra ele, agindo absolutamente dentro da lei", escreveu o promotor em sua manifestação.

"Bandido que dá tiro para matar tem que tomar tiro para morrer. Lamento, todavia, que tenha sido apenas um dos rapinantes enviado para o inferno. Fica aqui o conselho para Marcos Antônio: melhore sua mira..."

O promotor deveria ser afastado das suas funções, uma vez que seu papel deveria ser promover ações consideradas de interesse público, mas sua conduta é totalmente oposta a isso.

Segundo ele, o direito das pessoas de ir e vir estaria acima do direito político, de expressão política, mas é evidente que este direito é que está acima de todos os outros. Uma pessoa não pode ter nenhum direito garantido se o direito elementar de manifestação e livre expressão não estiver  garantido.

Fonte: site PCO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.