Pages

Subscribe:

quarta-feira, 7 de março de 2012

“Punir os que afrontam a Democracia”

Muitos ainda tentam esconder o rosto

Que a Comissão da Verdade produza e traga , ao final das investigações tão aguardadas, a luz  e aponte os feitos levados a termo por essas pessoas  que se escondem, como os covardes fascistas, e  que legaram o sofrimento e a angústia a milhares de brasileiros que se foram lutando por uma Brasil de igualdade  para todos.


Milhões de brasileiros e de latino-americanos desejam, pois sempre lutaram  e lutam até hoje,  ardentemente, na defesa da democracia e da Justiça, que os governantes do Brasil elucidem essa seara que não é alheia e sim faz parte do direito de todos .   E como alguém que um dia bradou:  “Justiça é o nome da Paz”,  temos a mais clara convicção de que  só seremos livres quando tudo isso for colocado e estiver, de fato, envolto em  circunstâncias  que ensejem a busca da verdade e do justo.

Já há muito, que o Estado brasileiro, deve isso aos seus filhos que não fugiram a luta contra os covardes e lacaios que, ou venderam a Pátria,  ou tentaram fazê-lo na  ânsia  louca do enriquecimento ilícito ou de arroubos incompreensíveis.

Sim, no ímpeto de suas invectivas, legaram satisfazer os  crimes de uma elite  não menos  senil, ardil e deletéria  que tem endereço e fixação cultural  no hemisfério norte.  Na verdade a escória  que tem os olhos nos EUA,  mais precisamente  em Miami, na Flórida, onde se encontram  milhares desses  espécimes que são premiados  com a “égide” da Casa Branca.

Posadas Carriles e outros  exemplares dessa magnitude vicejam copiosamente pela notável Miami com toda a suntuosidade  que tamanhas personalidades  relativizam.    É, eles são assim mesmo!

Rodrigo Vianna, meu caro, você não está só.  Conte também como apoio  desse iniciante  blogueiro.

**************************************************************************************************************

 Por  Rodrigo Vianna.

A Comissão da Verdade nem foi instalada, e o clima já esquentou. Dezenas, na realidade  centenas de militares se insubordinaram, lançando um manifesto contra Dilma e o ministro da Defesa, Celso Amorim.

Um manifesto contra a Democracia brasileira, seria melhor dizer.


Publicamos, aqui nesse blog, artigos criticando duramente esses militares. Um desses textos, assinado por Eric Nepomuceno, suscitou  comentários “ameaçadores” de gente que se esconde atrás de emails falsos e identidades forjadas. A turma das sombras não aceita a Democracia. É preciso enfrentar essa gente.

Acabo de recolher o IP (registro digital) de um dos supostos leitores que faz ameaças ao autor do artigo e ao responsável por esse blog. Vou à policia e ao Ministério Público, registrar queixa e pedir investigação. Mas a reação não pode ser, apenas, individual. É preciso uma reação política.

Por isso, publico abaixo um manifesto contra os golpistas e defensores da tortura.

Esse blogueiro assina e se coloca, desde já, ao lado dos que lutam pela Verdade e pela punição dos covardes – vistam eles farda ou não.

===

Instalar imediatamente a Comissão da Verdade
Punir os militares que afrontam a democracia

Testemunhamos nos últimos dias, entre militares da reserva, o ressurgir de vozes lúgubres, de oposição à criação e ao funcionamento da Comissão Nacional da Verdade.

As manobras dos indivíduos que buscam calar o direito à Memória, à Verdade e à Justiça tentam, por um lado, golpear a democracia, atingir e desmoralizar o governo federal e suas autoridades; por outro lado, envolver as Forças Armadas dos dias de hoje na defesa dos crimes cometidos, há décadas, pela Ditadura Militar, e implicá-las na defesa de militares e civis que foram os executores desses crimes.

O chamado “Manifesto à Nação” assinado por militares da reserva, entre os quais conhecidos torturadores, é uma enorme afronta ao governo federal legitimamente eleito e aos Poderes da República, e seus ataques à Comissão Nacional da Verdade são inadmissíveis.

Externamos nosso integral apoio à decisão da presidenta Dilma Rousseff e do ministro da Defesa, Celso Amorim, de punir esses autores de crimes de desacato, e reiteramos a necessidade da instalação imediata da Comissão Nacional da Verdade, único instrumento capaz de investigar, conhecer e divulgar a verdade sobre as graves violações de direitos humanos praticadas pelos órgãos de repressão da Ditadura Militar, e a sanção de seus autores, nos termos da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos e do Supremo Tribunal Federal quanto aos crimes permanentes.

Por fim, face ao crescimento das adesões de militares a esse manifesto de vocação golpista, a punição aos seus subscritores tornou-se uma questão não só imprescindível, como urgente, sob pena de fragilizarem-se a Democracia e os Poderes constitucionais da República.

São Paulo, 7 de março de 2012

Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça
Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.