Pages

Subscribe:

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

França considera um " mau sinal" testes realizados pelo Irã.



A  Síria está prestes a ser invadida  pelos EUA e pelos seus históricos colaboradores  da Europa Ocidental, leia-se Inglaterra e França. O  criminoso e condenável fenômeno já contem indícios  idênticos, em seus preparativos de início,  com  aqueles ocorridos  na Iugoslávia, Iraque e, mais recentemente,  na Líbia.

O que se  deve  levar em consideração imediata, não que outras devam ser esquecidas,  é a questão do Direito Internacional.   O fato de  muitos países se encontrarem em estágios  diferentes  com relação as questões de acesso a democracia  e outros valores humanos, não permite o direito dessas nações imperialistas ( conhecidas mundialmente pelos seus crimes, embora a historiografia positivista  não os registrem e simplesmente os   atenuem)  a  tomarem tais iniciativas usando o discurso humanitário.


O cinismo dos imperialistas  e de seus colaboradores,  destacadamente presentes no controle dos meios de comunicação,  humilha-nos e  assusta milhões  de pessoas em várias partes do planeta.  Tudo isso contribui e poderá levar a humanidade mais uma vez à  guerras de proporções não regionais.


A   política externa  de Israel, envolta e estruturada por ações de extrema violência bélica na região, tem contribuído decididamente para fomentar e disseminar o ódio gerando  mais    conflitos  de fronteira  e geopolíticos atuais .
Isso,  sem dúvida alguma, deveria preocupar  todos aqueles que lutam em defesa da paz. 


*********************************************************************************************************************





O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da França, Bernard Valero, disse hoje que Paris considera  um "mau sinal"  as declarações do Irã sobre os testes com êxito de mísseis de longo alcance no Golfo Pérsico.

"As declarações de que os testes de mísseis têm sido bem sucedidos são um mau sinal para toda a comunidade internacional", disse Valero em uma conferência de imprensa em Paris.

O Irã anunciou hoje que lançou com sucesso dois mísseis de longo alcance durante as manobras navais sendo realizado no Golfo Pérsico.
Valero observou que o programa iraniano de mísseis é de grande preocupação para a comunidade internacional e lembrou a este respeito que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, propôs o congelamento dos ativos do Banco Central do Irã e de impor um embargo às exportações de petróleo iraniano .

Ele acrescentou que as respectivas resoluções podem ser aprovadas na próxima reunião de chanceleres da UE convocada em 30 de janeiro.
O Irã, por sua vez, ameaçou bloquear o Estreito de Hormuz, se o Ocidente impor a proibição.


 O objetivo das manobras navais  iranianas  é apenas tentar fechar o Estreito de Hormuz, o canal que conduz à exportação de petróleo produzido no Golfo Pérsico.   Omã, Emirados Árabes Unidos e aliados de Washington controlam a costa sul do Estreito de Ormuz, enquanto o Irã controla a costa norte.

EUA e vários países europeus suspeitam que o Irã está desenvolvendo armas nucleares sob a capa de seu programa civil de energia atômica. Teerã rejeita as acusações garantindo que seu programa só atender a demanda de energia do país.


 Fonte:   site  Rianovosti




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.