Pages

Subscribe:

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Rússia Today descreve a nova cara da Líbia.

A grande expedição criminosa, levada a cabo pela OTAN, patrocinada pelos EUA em conluio com as  nações “civilizadas européias”, leia-se: Inglaterra, França, Itália,...e, o que seja talvez mais grave,  com o aval  da decadente ONU, começa a dar seus previsíveis frutos.    Não foram poucos os que denunciaram  o  elevado grau de perversidade  desses Estados  contra  uma nação, a Líbia,  que  convivia com indicadores sociais,  em determinados setores, aceitáveis e até  equiparados, guardadas as devidas proporções,   aquelas denominadas   “desenvolvidas”.

A desenvoltura dos grandes meios,  “máfio-midiáticos”, de Comunicação, quando da ocasião da famigerada “Intervenção Humanitária”, promovendo e proclamando a versão dos fatos a partir dos ensejos de Washington representou, naqueles fatídicos momentos, e nas circunstâncias atuais um gravíssimo problema ético e de lógica do Direito Internacional. 

Não há como se poder descartar hoje  a probabilidade, assaz elevada, de uma grande conflito mundial  bélico, em face desse episódio, sobretudo com relação ao papel da ONU  diante das invectivas  dos EUA e de seus asseclas mais próximos.

Se não bastasse isso tudo  as informações  continuam a trilhar o caminho batido da tradição Positivista que sempre se pautou por  resquícios  falaciosos, ludibriantes e de superstições  não menos estúpidas.   Tal corrente de narrativa, e de registro de feitos e fatos,  ainda é forte e hegemônica .   Mas os seus dias  de glória, isto é certo, estão findando.       Sim, não hã como negar isso.


********************************************************************************************************************


Moscou, (Prensa Latina) Cidades em ruínas, ilegalidade, falta de segurança, alta criminalidade, crianças fora das escolas e o medo constante da população fazem parte hoje da "nova cara" da Líbia que o Ocidente pretende ocultar, denuncia Russia Today (RT).


  No aniversário dos distúrbios na nação norte-africana que desembocaram em um conflito e em bombardeios da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), o Conselho Nacional de Transição (CNT) tenta dar outra imagem, destaca o canal russo.

 Os membros da referida organização prometeram entregar mil 600 dólares à cada família e 160 à cada pessoa para as comemorações, no meio de um país no qual quase desapareceram os órgãos de justiça e de segurança, destaca esse meio de imprensa.

 O anúncio ocorre quando cresce o diferendo entre os que chegaram ao poder apoiados por ataques da OTAN e partidários do líder libio Muammar Kadaffi, no meio da detenção arbitrária de milhares de pessoas e tortura a pelo menos oito mil delas, afirma RT.

 De acordo com um estudo da Universidade de Oxford, 35% dos líbios deseja o regresso ao anterior sistema criado por Kadaffi, assassinado por agrupamentos armados que agora controlam como coronéis o país, destaca RT.

 Os líbios tinham educação e saúde gratuitas, podiam estudar no estrangeiro e quando se casavam o Estado lhes entregava uma soma de dinheiro, declarou ao canal russo de televisão Annie Machon, ex-agente do MI5 (serviço britânico de inteligência exterior).

 Sete meses de bombardeios da aliança atlântica e o conflito interno deixaram um saldo de 30 mil mortos e 50 mil feridos, enquanto outras quatro mil pessoas estão desaparecidas, segundo teve que reconhecer o CNT, em setembro passado, sublinha o meio russo.

 A agressão da OTAN quase anulou a exportação de petróleo, que no tempos de Kadaffi representava 50% do Produto Interno Bruto líbio, enquanto que as perdas se calculam em uns 40 bilhões de dólares.

fonte:   site  Prensa Latina-


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.