Pages

Subscribe:

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Circula na ONU denúncia cubana sobre nova agressão terrorista

Nações Unidas- Prensa Latina- O Grupo dos 77 mais China fez circular hoje na ONU, entre os seus 133 países membros, uma denúncia realizada por Cuba sobre a captura de quatro pessoas residentes em Miami, Estados Unidos, que planejavam ações terroristas contra a ilha.

O documento enviado pela nação caribenha informa sobre a detenção, em 26 de abril, de José Ortega, Obdulio Rodríguez, Raibel Pacheco e Félix Monzón, todos de origem cubana, os quais foram reconhecidos por pretender atacar instalações militares com o objetivo de promover ações violentas.

Além disso, declararam que os planos estão sendo organizados pelos também terroristas residentes em Miami Santiago Álvarez, Osvaldo Mitat e Manuel Alzugaray, estreitamente vinculados com o foragido da Justiça Luis Posada Carriles, responsável pela explosão em outubro de 1976 de um avião da Cubana, com 73 seres humanos a bordo.

A Maior das Antilhas entregou o texto ao G-77 - bloco de nações do Sul fundado em 1964 -, ao Movimento de Países Não alinhados, à Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos e ao secretário geral da ONU, Ban Ki-moon.

Desde o triunfo da Revolução Cubana, em janeiro de 1959, grupos extremistas radicados no Sul da Flórida têm preparado, financiado e executado dezenas de atos violentos, os quais têm deixado à ilha quase 3.500 mil mortos e mais de dois mil deficientes. Há poucos dias, a Missão Permanente de Havana ante às Nações Unidas tinha solicitado a circulação de uma condenação da Chancelaria pela inclusão de Cuba na unilateral lista de patrocinadores do terrorismo, publicada pelo governo dos Estados Unidos em 30 de abril.


O país caribenho qualificou de absurdas e caluniosas as acusações do Departamento de Estado, direcionadas a justificar o bloqueio econômico, comercial e financeiro à ilha, uma medida repudiada no planeta.

Além disso, advertiu sobre a contraproducente manipulação de um tema tão sensível como o terrorismo internacional, e recordou que Washington carece de moral para julgar os outros, porque pratica o terrorismo de Estado e protege criminosos como Posada Carriles.

As denúncias cubanas coincidem com o início na ONU de um processo de revisão da Estratégia Global da Organização contra o flagelo.

Diversos governos reivindicam que a questão do terrorismo seja encarada sem duplos critérios nem manipulações políticas e a partir do multilateralismo, no lugar de posturas hegemônicas.

ale/wmr/bj

Modificado el ( miércoles, 14 de mayo de 2014 )

fonte: Prensa Latina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.