Pages

Subscribe:

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Chineses encontram fósseis da mais antiga espécie de primata do mundo


 Adriano Queiroz- Paleontólogos chineses encontraram restos fossilizados de 55 milhões de anos do que parece ser o primata mais antigo já descoberto pelo homem. De acordo com o pesquisador Xijun Ni, da Academia Chinesa de Ciências em Pequim, o “Archicebus achilles” tinha apenas sete centímetros de altura, pesava pouco mais de 30 gramas e era adaptado para viver em árvores.

Com membros delgados, uma cauda longa e dedos finos, o animal ”deve ter sido um excelente saltador de árvores, ativo durante o dia, e que se alimentava principalmente de insetos”, destacou o autor do estudo, publicado na revista Nature. O fóssil pertence ao início do período geológico Eoceno e, ao que tudo indica, é o parente mais primitivo dos atuais lêmures na árvore genealógica.


Segundo os cientistas chineses, o achado indica que a linhagem desses animais (que culminou nos seres humanos) se diferenciou  de outros grupos maníferos cerca de 7 milhões de anos antes do que se pensava. A análise do esqueleto revela uma mistura de diferentes características – o crânio, os dentes e os ossos das penas e braços se parecem com os dos Tarsiiformes, subgrupo dos primatas que abrange os lêmures, enquanto o calcanhar e os ossos dos pés lembram mais os antigos antropoides.


O pequeno primata de pernas compridas e cauda longa (com o dobro do comprimento do corpo, o que o ajudava a manter o equilíbrio) era tão minúsculo quanto um lêmure-rato-pigmeu (Microcebus myoxinus) moderno. Seus olhos grandes apontam que ele tinha uma boa visão para caça e mantinha hábitos diurnos. “Esse mosaico de características não tinha sido visto antes em nenhum ser vivo ou fóssil de primata”, diz Christopher Beard, paleontólogo do Museu Carnegie de História Natural, em Pittsburgh (EUA).

Ao todo, os cientistas avaliaram 1.200 características morfológicas do fóssil e as compararam com as de 156 outros mamíferos existentes ou já extintos. Os restos do primata foram recuperados sob uma camada de xisto formada por sedimentos depositados entre 54,8 e 55,8 milhões de anos em um lago no leste da China. Fragmentos de fósseis semelhantes já haviam sido descobertos, mas consistiam apenas em dentes e pedaços de ossos da mandíbula.

“Se você refizer a evolução dos primatas até o início, o Archicebus achilles é como os nossos ancestrais provavelmente se pareciam”, destacou o paleontólogo Zhe-Xi Luo, da Universidade de Chicago em Illinois, que também participou da pesquisa.

Fonte:  diariodonordeste.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.