Pages

Subscribe:

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Dilma defende parceria estratégica e duradoura entre Brasil e Cuba

Dilma Rousseff reúne com o presidente cubano Raúl Castro (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR) A presidente Dilma  orgulha-nos quando se refere a liberdade e aos Direitos Humanos na América latina.    Setores da grande mídia, não poderia ser diferente , tenta persuadi-la e ridicularizá-la em vão.     É vergonhoso vermos jornalistas,  diante de uma grande chefe de governo, tentar diminuir  e ocultar suas concepções de mundo.


A presença de nossa presidente em Cuba  com  um acordo que irá ajudar ambas as nações  deveria servir de exemplo para quem, a priori,  informa fatos referentes a ilha socialista como se  Cuba fosse uma espécie de  enfermidade terrível, temível e, portanto, detestável.  

Suas respostas acertadas e certeiras  possuíam endereço bastante claro.  A nobreza de Dilma  está exatamente  em seu caráter forte  e  insistente  na defesa dos ideais  que a fizeram conhecida no Brasil e na esquerda latino-americana.     Dificilmente a “mídia cheirosa” fará menção a tal acontecimento na perspectiva  que deveria fazê-lo: mostrando a verdade  das relações humanas e a segurança de uma grande chefe de Estado  e de Governo.


Logo abaixo da matéria há um vídeo.  Assista-o e confirme.  Dificilmente o PIG fará menção sobre isso.


************************************************************************************************************** 

Na primeira visita oficial a Cuba, a presidenta defendeu hoje (31) uma parceria “estratégica e duradoura” para acelerar o desenvolvimento cubano.


Em entrevista coletiva após visita ao Memorial de José Martí, na Praça da Revolução, a presidenta citou os investimentos brasileiros no Porto de Mariel e o financiamento da produção por meio do programa Mais Alimentos.

“A grande ajuda que o Brasil vai dar a Cuba é contribuir para que esse processo, que é um processo que eu não considero que leve a grande coisa, leva mais à pobreza e a problemas sério para as populações que sofrem a questão do bloqueio, a questão do embargo, a questão do impedimento do comércio. Eu acredito que o grande compromisso, a grande contribuição que nós podemos dar aqui em Cuba é ajudar a desenvolver todo o processo econômico”, disse a presidenta.

Além da cooperação econômica, a presidenta Dilma falou ainda sobre direitos humanos, tema que, segundo ela, deve ser discutido dentro de uma “perspectiva multilateral”.



“Não é possível fazer da política de direitos humanos só uma arma de combate político-ideológico. O mundo precisa se convencer de que é algo que todos os países do mundo tem de se responsabilizar, inclusive o nosso. Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro. Nós, no Brasil, temos os nossos. Então, eu concordo em falar de direitos humanos dentro de uma perspectiva multilateral. Acho que esse é um compromisso de todos os povos civilizados. Há, necessariamente, muitos aspectos a serem considerados. De fato, é algo que nós temos de melhorar no mundo, de uma maneira geral. Nós não podemos achar que direitos humanos é uma pedra que você joga só de um lado para o outro. Ela serve para nós também.”



Fonte site PT Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.5 Brasil.